REFLAXÃO - Publicado em: 09/12/2019

PENSE BEM Com Nildinha Freitas!


Hoje acordei com a necessidade de falar de amor.

Esse amor que vejo nas coisas mais simples que minha mãe faz e sempre fez por mim.

O doce de leite que eu gosto, o entender minhas diferenças e as dos demais filhos e filhas.

Eu quero falar do amor que ela sempre teve ao acordar mais cedo para preparar o café, desse amor que sempre faz tudo sem esperar em troca. Eu quero falar do amor que se esconde nas coisas mais simples e aparentemente mais banais. Falar do amor que fica escondido no tempero das panelas e no lençol limpo pra gente não espirrar. Eu quero falar desse amor que vai se escondendo nos gestos mais singelos do dia, esse amor materno, paterno, mas que pode ser também amor do filho, da filha que cuida dos pais idosos, dos casais que cuidam um do outro, dos amigos que não nos deixam só.

Ah, é desse amor que eu quero falar, do amor que quase ninguém nota, que quase ninguém percebe, mas que está lá.

Nildinha Freitas

Poeta, Escritora e Coach Profissional

Faça seu comentário





O preenchimento de todos os campos são obrigatorios.

Comentários

Por: - em 31/12/1969