DISQUE 100 - Publicado em: 03/06/2020

CRP-RN alerta sobre aumento do abuso sexual infantil durante pandemia.


Em decorrência da pandemia da Covid-19, o isolamento social estabelecido nas cidades brasileiras, pode ser um fator preocupante no que diz respeito ao aumento no número de casos de abuso sexual infantil. De acordo com dados do Disque 100, número para denúncia do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), mais de 70% dos casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes acontecem no âmbito familiar praticados por pais, padrastos e outros parentes.

Portanto, em isolamento social, as crianças estão mais vulneráveis aos abusadores, alerta o Conselho Regional de Psicologia do Rio Grande do Norte (CRP-RN).

De acordo com um relatório da organização não-governamental (ONG) World Vision, nos próximos três meses até 85 milhões de crianças e adolescentes, com idades que variam entre 2 e 17 anos, podem se tornar vítimas de violência física, emocional e sexual em todo o mundo. No Brasil, os casos devem aumentar até 18%.

“O contexto da Covid-19 faz com que as crianças passem mais tempo em casa, sem as saídas para a escola, com os colegas, ou para outros ambientes. Essa situação de violência potencializa o contato com o agressor, deixando as crianças sem escape, e mais expostas a sofrer o abuso e violência”, alerta a psicóloga conselheira Helena Oliveira.

A profissional alerta que é preciso atenção aos sinais. “A criança pode ter irritabilidade, ficar introspectiva, acuada, medo do contato com alguém que vá mexer no corpo dela”, diz. “Quando submetida à violência sexual, a criança pode ficar hipersexualizada, aflorando sua sexualidade em comportamentos pornográficos. Por isso, é importante observar se a criança tá reproduzindo esses comportamentos com outras crianças, ou no brincar e com objetos”.

Faça seu comentário





O preenchimento de todos os campos são obrigatorios.

Comentários

Por: - em 31/12/1969